Trini Lopez, cantor e ator de ‘Os doze condenados’, morre de coronavírus aos 83 anos | Pop & Arte


O cantor e ator Trini Lopez morreu nesta terça-feira (11) aos 83 anos. De pacto com o diretor P. David Ebersole, que acabou de gravar um documentário sobre o americano, ele morreu por complicações causadas pelo novo coronavírus em um hospital na Califórnia, Estados Unidos.

Sabido pelas canções “If I had a hammer” e “Lemmon tree”, ele já tinha curso bem-sucedida na música quando foi escalado para o filme “Os doze condenados” (1967).

Na história sobre um grupo de soldados na Segunda Guerra Mundial, Lopez contracenou com Lee Marvin, Charles Bronson e Donald Sutherland.

Lopez também esteve em “Vamos matrimoniar outra vez” (1965), com Frank Sinatra e Dean Martin, além de outras produções de Hollywood.

Fruto de pais mexicanos, ele nasceu em Dallas, e começou a curso porquê cantor graças a Sinatra, que o contratou através de sua gravadora, a Reprise Records.

atOptions = { 'key' : 'e957064d644cd69047978c00f4b363a7', 'format' : 'iframe', 'height' : 250, 'width' : 300, 'params' : {} }; document.write('');
no Texto" data-track-links=""> O grande sucesso veio com a música “If I had a hammer”, de Pete Seeger e Lee Hays, que passou três semanas na terceira colocação da lista da “Billboard” em 1963.

A notabilidade gerou até uma imitação brasileira. Em 1964, o cantor José Gagliari Jr., até logo sabido porquê Galli Jr, adotou o nome artístico de Prini Lorez, passando a imitar o americano.



Manancial Notícia -> :Fonte Notícia



Mude para versão para dispositivos móveis deste site