Relembre os grandes sucessos do Daft Punk: De ‘Da Funk’ a ‘Get Lucky’ – Cultura


Confira as principais canções com as quais a dupla francesa Daft Punk, cuja separação foi anunciada nesta segunda-feira, 22, por meio de um vídeo no YouTube, domina o mundo da música eletrônica desde o final dos anos 1990. 

Da Funk (1995)

Segundo single do grupo, Da Funk foi lançado em 1995 e se tornou o primeiro sucesso da dupla. Essa música instrumental rapidamente ganhou espaço nas discotecas europeias e se tornou um clássico da house music dos anos 1990.

O videoclipe, em que um varão com cabeça de cachorro aparece caminhando pelas ruas de Novidade York, também se tornou muito popular.

Around the World (1997)

É a principal tira do seu primeiro álbum, Homework (1997), que teve dois milhões de cópias vendidas em 35 países. Com o trabalho, o Daft Punk começa, assim, a ocupar o mundo. 

No videoclipe, dançarinos vestidos de esqueletos, robôs, múmias e nadadores caminham e dançam de forma sincopada, no ritmo da música.

One More Time (2000)

Primeiro single do seu segundo álbum, Discovery. A dupla utiliza um programa de computador, o Auto-Tune, para tratar e estancar a segmento vocal, técnica hoje muito generalidade, principalmente entre rappers. 

“Muitas pessoas reclamam que existam músicos que usem o Auto-Tune. Isso me lembra do final dos anos 1970, quando alguns músicos franceses queriam proibir os sintetizadores. Mas eles não perceberam que é provável usar esses instrumentos de forma inovadora, não unicamente para substituir os instrumentos do pretérito”, explicou Thomas Bangalter, um dos membros da dupla. 

One More Time foi classificada porquê a melhor música dance de...

todos os tempos
pelos leitores da revista Rolling Stone.

Harder, Better, Faster, Stronger (2001)

É a quarta tira do álbum Discovery. As letras são cantadas roboticamente. 

Vencedora de um Grammy, a música foi reinterpretada em 2007 pelo rapper americano Kanye West em sua cantiga Stronger.

Get Lucky (2013) 

Composta por Pharrell Williams e o lendário guitarrista Nile Rodgers, esta tira do álbum Random Access Memories foi aclamada pela sátira e chegou ao número um das paradas em muitos países em meados de 2013. 

Em 2017, foi interpretada por uma margem no final do tradicional desfile de 14 de julho na Champs Elysées em Paris, diante dos presidentes gaulês e americano, respectivamente, Emmanuel Macron e Donald Trump.





Manancial Notícia -> :Fonte Notícia



Mude para versão para dispositivos móveis deste site