Ralk e Mojjo lançam remix de clássico dos anos 90 nesta sexta-feira (29)


A releitura da filete “9PM (Till I Come)” é resultado da parceria entre os dois DJs e chega com pegada progressiva e timbres mais atuais.

DJs Ralk e Mojjo, embalados pelo clima de nostalgia que está super em subida nesse período de quarentena, lançam nesta sexta-feira (29) o remix de “9PM (Till I Come)”, em uma releitura do clássico da dance music mundial, originalmente do artista teutónico ATB.

A filete, que já está disponível em todas as plataformas de música – ouça cá – assim porquê no YouTube – assista cá -, está sendo lançada pelo Austro, selo de música eletrônica da Som Livre, e mistura o melhor da versão original com elementos mais contemporâneos, inseridos pelos dois artistas.

Segundo Ralk, sua vontade de trabalhar com essa música surgiu ainda no início da curso, e desde que ouviu a versão original pela primeira vez ficou fascinado pelo solo de guitarra. 

“Conversei com a minha equipe e corremos detrás da autorização de trabalhar em cima do solo. Comecei a me destinar a essa filete há mais ou menos um ano.

No primórdio de 2020 chamei o Mojjo para participar dessa collab, e ele também curtiu pra caramba a teoria”, conta o DJ pernambucano, completando que eles também haviam pensando em colocar o vocal original da filete no remix, mas acabaram optando pela cantora Ocana, responsável por interpretar o trecho cantado da novidade versão.

“Eu e o Ralk já tínhamos vontade de trabalhar juntos há um tempo, mas ainda não tinha rolado de lançar zero.

Portanto quando ele me mostrou a teoria desse remix, resolvemos seguir com tudo.

Outrossim, eu acredito que a quarentena está trazendo um clima de nostalgia.

As pessoas estão mais em mansão, resgatando jogos, fotos e músicas antigas”, opina Mojjo.

Apesar de a escolha da filete para a produção em conjunto ter realizado em um momento pré-pandemia, foi durante o isolamento social que os artistas mais trabalharam para realizar o projeto.

À intervalo, cada um trabalhando do seu estúdio em estados diferentes, nós mandávamos o material um paro outro e íamos compartilhando o que estávamos fazendo.

Foi assim até chegarmos a um resultado que agradou também aos dois, e aí percebemos que era a hora de lançar.

Nossa teoria sempre foi levar um pouco de alegria com esse toque de nostalgia para as pessoas nesse momento”, diz Ralk.

Sobre as escolhas técnicas para a produção da releitura, Mojjo conta: 

“Essa música tem um sintetizador muito nostálgico, que é o lead e a segmento marcante da música.

Portanto foi esse sint que escolhemos para manter do original”. Para Ralk, melhorar uma filete conhecida e com uma versão original tão boa foi um repto.

Uma vez que a música original é muito boa, a gente ficou meio perdido a princípio e teve até um pouco de dificuldade sobre o que fazer nela, porque sabíamos que as expectativas sobre esse remix seriam muito altas e teríamos que superá-las.

Portanto decidimos investir em uma novidade roupas, com uma pegada um pouco mais progressiva por meio de elementos e timbres atuais.”, explica o DJ.

O resultado é motivo de orgulho e deixou os dois artistas bastante felizes.

Chegamos em um resultado muito lícito e temos certeza de que todo mundo vai curtir demais”, confidencia Ralk. Mojjo complementa: 

“Acredito que por ser o primeiro remix solene dessa música...

depois de muito tempo, ainda mais considerando essa vibe nostálgica, ela tem tudo para ser, sim, bastante atrativa”.

“9PM (Till I Come)” – Ralk & Mojjo feat. Ocana

Lançamento Austro/Som Livre – 29 de maio/2020.

Sobre Ralk

Quando se pensa em música eletrônica hoje no Brasil é impossível não associar um dos maiores fenômenos em incremento no país, o pernambucano Ralk.

Um artista versátil que procura em cada trabalho autoral, mostrar para o público que dentro da música eletrônica não existem barreiras para produzir.

Dentre suas músicas de maior destaque, está o remix da música “O Sol”, produzido em parceria com Vitor Kley e Diskover, que já conta com mais de 14 milhões de plays no Spotify.

Além do grande sucesso nas plataformas de streaming, Ralk também pretexto euforia nas pistas de dança, exemplo disso é sua agenda corrida, com shows de setentrião a sul do país.

Em tão pouco tempo de curso, Ralk não cansa de surpreender com seu talento.

Sobre Mojjo

MOJJO começou sua curso músico porquê baterista aos 10 anos de idade em Ribeirão Preto, interno de São Paulo.

Em 2011, começou a produzir música eletrônica, logo chamando atenção da cena e, em 2017, deu início ao seu projeto artístico.

Hoje, conta com suporte de grandes DJs e produtores do mercado pátrio e internacional, podendo sobresair artistas porquê Alok, Vintage Culture, Bhaskar, Cat Dealers, Vinne, Ricci, Cedric Gervais, Don Diablo entre vários outros.

Com quase 700 milénio ouvintes mensais no Spotify, MOJJO assinou com o Austro, selo de música eletrônica da Som Livre em 2019, dando um novo passo em sua curso.

Em seguida assinar com a gravadora, seu primeiro lançamento foi a filete “Sétima Arte”, em parceria com o rapper Haitam.

Os números de MOJJO vão além do streaming e também impressionam nas plataformas digitais. A filete “Chovendo Inimigo” em parceria com o grupo Hungria Hip Hop possui mais de 100 milhões de visualizações no YouTube.

Entre seus últimos lançamentos estão “Let You Go” e “I Don´t Know Why” em parceria com KVSH.

Sobre o Austro Music

O Austro Music chegou ao mercado em 2016 com o objetivo de fortalecer a cena da música eletrônica brasileira, adaptando à verdade do país o protótipo de negócios já usado na Europa e nos EUA. 

O selo contempla diversos estilos musicais dentro da música eletrônica e conta com Bhaskar, MOJJO, Ralk e Samhara em seu cast. 

Além da contratação de artistas de representatividade no meio, o Austro também projeta novos talentos no mercado e atua em outras duas frentes: licenciamento de teor pátrio e internacional.

austromusic.com.br

facebook.com/austromusic

instagram.com/austromusic

Print Friendly, PDF & Email





Manancial Notícia -> :Fonte Notícia



Mude para versão para dispositivos móveis deste site