Lazzo Matumbi tem álbum de 1988 regravado em tributo que inclui Larissa Luz, Luedji Luna e Anelis Assumpção | Blog do Mauro Ferreira


♪ Música composta pelo soteropolitano Lazzo Matumbi em parceria com Gileno Félix, o reggae Me abraça e me beija foi lançado em 1988 na voz do próprio Lazzo.

Mas, fora da Bahia, esse reggae ficou mais associado a Margareth Menezes, cantora que há 30 anos registrou Me abraça e me beija com o cantor jamaicano Jimmy Cliff em gravação bilíngue feita em português e em inglês – na versão intitulada Kiss me e escrita por Cliff com Dominic Smith – para o álbum Kindala (1991).

Trinta anos depois do dueto de Margareth Menezes com Jimmy Cliff, Me abraça e me beija ganha a voz da cantora baiana Luedji Luna em single duplo que chega ao mundo do dedo nesta quinta-feira, 21 de outubro, anunciando o ainda inédito álbum Ainda detrás do pôr do sol – Uma homenagem a Lazzo Matumbi.

Orquestrado pelo duo Rabo de Galo (formado pelos DJs Bruno Komodo e Peu Araújo) com o DJ Ubunto, o tributo fonográfico avalanche no título ao nome do álbum Detrás do pôr do sol, lançado por Lazzo Matumbi em 1988 com as gravações originais de oito músicas logo inéditas.

Lazzo Matumbi é comemorado em álbum que fica completo em janeiro de 2022 — Foto: Caio Lírio

Entre essas oito músicas, havia a já citada Me abraça e me beija e Entre milénio constelações. Parceria de Lazzo com Gileno Félix, o reggae Entre milénio constelações ganha a voz de Fran – nome artístico do cantor carioca Francisco Gil, neto de Gilberto Gil – no single duplo que apresenta o tributo idealizado para festejar os 40 anos de curso solo de Lazzo Matumbi com a regravação do repertório do álbum de 1998 por vozes porquê as de Anelis Assumpção, Josyara e Larissa Luz.

Voz ativista da Bahia, Lázaro Jerônimo Ferreira ficou inicialmente espargido em Salvador (BA) porquê Lazinho do Ilê – pelo roupa de ter sido um dos vocalistas do conjunto afro Ilê Aiyê de 1978 a 1980 – e Lazinho Diamante Preto. Mas foi em 1981, há 40 anos, que se lançou na curso solo porquê Lazzo Matumbi com a gravação e edição de single duplo autoral com as músicas Salve a Jamaica (Homenagem a Bob Marley) e Guarajuba.

No álbum Ainda...

detrás do pôr do sol
, os três DJs reapresentam com beats contemporâneos as oito faixas do LP de 1988, título relevante (mas até logo esquecido) da discografia brasileira, por sedimentar a trajetória solo de Lazzo Matumbi e por promover a elevação da autoestima do povo preto com o repertório ora rebobinado pelo trio de DJs com os convidados.

Se Supressão (Lazzo Matumbi e José Carlos Capinan) ressurge com Nikima, Cidade do paixão (Leguelê Marques e Wilton Coelho) – única música do disco sem a assinatura de Lazzo – emerge com a voz de Josyara.

Mexa-se (Lazzo Matumbi e Teni Versoza) junta Anelis Assumpção e Curumin. A música-título do álbum original, Detrás do pôr do sol (Lazzo Matumbi e Gileno Félix), é cantada por Fabriccio. Larissa Luz interpreta Lá vem os homens (Lazzo Matumbi e Gileno Félix) enquanto Nara Couto reverbera Lamento (Lazzo Matumbi e Gileno Félix).

A cada mês, um single duplo será lançado até que o álbum Ainda detrás do pôr do sol fique completo com as oito faixas em janeiro de 2022.

O duo Rabo de Galo e o DJ Ubunto são os criadores do tributo ‘Ainda detrás do pôr do sol – Uma homenagem a Lazzo Matumbi’ — Foto: Victor Takayama / Divulgação



Nascente Notícia -> :Fonte Notícia



Mude para versão para dispositivos móveis deste site