Juiz rejeita processo de direitos autorais de ARTY contra Marshmello


Em seguida dois anos de um embate polêmico entre ARTY e Marshmello, finalmente chegou a uma decisão final sobre o processo de direitos autorais da música ‘Happier‘.

O processo foi lhano em maio de 2019 depois que ARTY alegou que Mello havia roubado a melodia de seu remix de 2014 de “I Lived” do OneRepublic, posteriormente reciclando-o para o single “Happier” com Bastille de 2018. Dan Smith, o frontman da margem britânica, também foi citado no processo de direitos autorais junto com o produtor Steve Mac.

A decisão veio na última quinta em obséquio de Marshmello, Smith e Mac, com o juiz distrital da Califórnia, Philip S. Gutierrez, que decidiu que ARTY não tinha fundamentos para processar sob os termos de seu contrato “I Lived” com OneRepublic. “Reconheço e concordo que os serviços prestados (ou a serem prestados) pelo remixer nos termos deste instrumento não dão o recta ao remixer ou a mim a qualquer propriedade ou interesse financeiro na constituição músico subjacente”, afirma o contrato assinado.

VEJA MAIS:

De consonância com...

Gutierrez, a “constituição músico subjacente” em questão incluía não unicamente a versão original de “I Lived”, mas também o remix de ARTY. Esta opinião estabelece o precedente legítimo de que os remixers não detêm os direitos de seu trabalho quando se trata de violações de direitos autorais.

E aí, você concorda que houve imitação do remix? Ou foi unicamente uma coincidência? Comente nas nossas redes.



Nascente Notícia -> :Fonte Notícia



Mude para versão para dispositivos móveis deste site